P9050007

Faz pouco tempo recebi uma informação curiosa, dois jovens de duas bandas haviam se degladiado via twiter(ou coisa parecida) onde o foco da discussão parecia muito girar entre quem tinha e quem não tinha talento (nem vou questionar isso).     .

Toda a discussão envolveu ofensas mútuas tanto dos dois cidadãos quanto de seus fãs, a maioria adolescentes, meninos e meninas ainda em espírito de formação intelectual, mas uma frase me marcou muito : “não vou tocar uma música que nem sequer é boa o suficiente para ser conhecida” – e este será o foco da nossa discussão hoje.     .

Primeiro, O FATO DE ALGO SER CONHECIDO NÃO SIGNIFICA QUE FOI POR SER BOM,  isto é o que me leva a questionar sobre o que é ser profissional e o que é ser famoso. Muitos músicos famosos, realmente o são por serem profissionais, outros porém são trabalhos de outrem, são produtos  construídos unicamente para alimentar um mercado que foi percebido.    . 

Sim, a fama pode ser construída por outrem, pode ser trabalhada de forma ao músico ser apenas o objeto da ação e não o autor da mesma,  vamos exemplificar: Quem lembra de Mili Vanilli ? (se não lembra clique aqui ).  .

Honestamente amigos, não vejo nenhum profissionalismo em atitudes  como brigas bobas e xingamentos e a construção  destas mesmas brigas entre seus grupos de fãs, ainda mais nos dias de hoje onde a música está tomando um novo rumo no espaço cultural.    .

Considero até uma tremenda irresponsabilidade para uma banda cujo público seja adolescente alimentar rixas sem futuro e sem fundamento, quando deveriam pensar e trabalhar mais em pró de melhorar a cultura destas crianças. Me lembro com saudades dos tempos em que ouvia Legião Urbana ao cantar Eduardo e Mônica  citava :
Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus,
De Van Gogh e dos Mutantes,
Do Caetano e de Rimbaud

E com isso trazia para seu público um índice de artistas importantes para buscarmos conhecer,  quantos não devem ter descorbeto a poesia de bandeira, os quadros de van gogh ou o som dos mutantes a partir desta música?
Cremos que o importante é este, perceber o valor das palavras o valor da mensagem que passamos.      .

Agora vejamos o outro foco da discussão que me preocupa;  seria a fama a única prova do profisisonalismo?
Nós do Chinfra cremos que não, cremos que todo trabalho tem que ser respeitado, desde os garis (não é senhor  Boris Casoy) até  os músicos que fazem bares até bandas de trabalho próprio independentes tem de se respeitar e respeitar o trabalho do outro, porque  isso é o trabalho do outro, é de onde ele constrói o sustento dele,  cuida de sua família, estrutura sua vida.     .

O artista não é simplesmente um gênio, não é um deus vivente no olimpo a admirar os homens na terra, é um trabalhador, é um lutador um guerreiro, brigas de ego podem vender minutos de fama, mas não constróem verdadeiros profissionais deste meio.   .Por falar em profissionais, gostaria de dar aqui os parabéns a nosso Roadie Rafael Rodrigues, que além de um Roadie hiper competente toca no média zero que é uma banda porreta que já abriu alguns shows da gente.
   .

Abraços camaradas, e ae MARANHÃO , inicio do ano que vem estaremos despontando por ae, fiquemos atentos para o futuro. valeeeeu    - fiquem com um som do plebe rude pra pensarmos.

.

 

Categories: , ,

5 Responses so far.

  1. Dany says:

    po muito bom essa discussão, mandou ver, acho que é isso mesmo.

  2. joaninha says:

    é hora do rock amadurecer de novo, morte prus coloridinhos.

    boy band de guitarras ;)

  3. Anônimo says:

    sempre teremos os filhos do capeta.

  4. Maria says:

    parabens ae e boa sorte pra galera valeu

deixe seu comentário aqui